PENSAMENTOS da MAYSA: As 7 Maravilhas do Mundo!

10 de novembro de 2014

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email
“As 7 maravilhas do mundo são: Ver, Ouvir, Tocar, Provar, Sentir, Rir e Amar”. 
Achei sublime este pensamento do livro de Allan Percy, que simplesmente explica tudo! Não importa o lugar onde você está, o que importa mesmo é o que você sente em relação ao mundo em que vive!!! A vida é a soma das suas emoções, o entusiasmo que você é capaz de sentir diante dos acontecimentos corriqueiros.
A gratidão pelo dom da vida, o otimismo, a doçura, a despreocupação com o julgamento alheio. Por isso tantas pessoas que têm tudo, sentem-se vazias, porque a felicidade pode morar em uma mansão, ou em um barraco na periferia… Não é o CEP que define a sua capacidade de se maravilhar, mas a forma como você encara o dia a dia.
Experimente ser arrebatadoramente feliz, experimente ser bobo, experimente gargalhar, experimente gostar do seu mundo, você vai descobrir incontáveis maravilhas!
A ativista americana Hellen Keller, que é cega, surda e muda, foi capaz de desfrutar dos sentidos que lhe restavam, em uma experiência quase mística. São dela, as seguintes palavras: “Use os olhos como se fosse ficar cego amanhã. Escute a música das vozes, o canto dos pássaros, as poderosas notas de uma orquestra, como se amanhã, fosse ficar surdo. Toque cada objeto como se o sentido do tato fosse lhe faltar amanhã. Sinta o aroma das flores, e o sabor de cada bocado de comida, como se amanhã, já não pudesse cheirar, nem sentir o gosto de nada”.
Por que perdemos tanto tempo reclamando da vida? Tanto tempo que poderia ser usado para produzir algo de bom, nem que isso fosse a gargalhada de uma criança amada. Poderíamos usar o tempo para agradecer por mais um dia, poderíamos correr em volta da mesa de jantar, ouvindo uma sinfonia… Já que suar é necessário, que o suor seja lúdico, seja leve, seja revigorante.
Não tenho tempo, não tenho grana, não tenho como… Não tenho na verdade, gana! Sim, vontade!!! Garra, coragem, ternura, bravura, doçura… aptidões que não dependem de tempo, espaço, status ou classe social.
É preciso despir-se da ingratidão para enxergar o mundo com olhos de quem se maravilha! É preciso quebrar velhos paradigmas, é preciso deixar de culpar a sorte ou até mesmo Deus, pelas paisagens que você não vê, pelos episódios que você não vive.
A responsabilidade é sua, a responsabilidade é minha! E se você todos os dias agir da mesma maneira, não pode esperar que os resultados mudem, que o cenário se transforme… Quem não muda, pára no tempo, não evolui, vive em piloto automático, e de repente um dia, acorda zumbi!
Já experimentou parar um pouco, e se maravilhar???
(Maysa Leão).
Bjo bjo bjo!


VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

PENSAMENTOS: Vida Poluída

8 de outubro de 2014

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email
Faz tempo que não escrevo para vocês, as vezes liberto as palavras pulsantes na minha cabeça, em minhas Redes Sociais, mas escrever mesmo, pra valer, faz tempo que não acontece!
Sabe o que é, estou SEM tempo! Ahhh e quem é que está COM tempo?
Eu queria conhecer alguém que respondesse a um singelo: Oi, tudo bem? Com um simplório: Tudo Ótimo! Não poderia estar melhor! Estou lendo, ouvindo música, visitando as amigas, fazendo bolo com gluten, lactose e cobertura… De vez em sempre, eu sento na calçada em frente de casa, vejo as pessoas passando, reencontro amigos, planejo minhas próximas férias, trabalho 6 horas por dia, estou feliz com meu salário, com as minhas escolhas, pensando seriamente em ter o terceiro filho…”
Essas coisas não acontecem mais! Parece que o mundo se complicou de vez, ou fomos nós que o complicamos, de tal forma que nem sabemos mais como retroceder. As empresas já têm escala de gravidez, e você que fez 2 faculdades, 2 MBAs, está seriamente pensando se não seria a hora de um Mestrado… E tem a Terapia, o Coaching, a Meditação, o Pilates, a Massagem…
Ainda assim a Bioimpedância não deu o resultado que você queria!
Eu não estou criticando meu próprio “modos operandi”, porque muitas dessas cobranças supracitadas fazem parte da minha vida também. Estou criticando o que somos capazes de fazer para alcançar o inatingível, o exagero, a falta de medida.
Nem 8, nem 80! Por que será que uma mãe nota 10 precisa parar de trabalhar, escrever e ler blogs de maternidade, perder os 8 Kgs da gravidez em um mês, ter a barriga dura e o peito redondo em 2 meses, amamentar durante 2 anos, usar mamadeira de vidro, ler 50 livros de psicologia infantil, brincar com o filho 5 horas/dia, fotografar cada segundo da existência do filho, dizer que o mundo todo perdeu a importância diante da existência do filho, zerar a vida social, fazer dezenas de piqueniques e encontros infantis por mês… Meu Deus, quem é essa mulher??? O que ela come? Como consegue? Será que ela nunca chora ou se sente perdida?
Mas tem também aquela outra que engravida, no oitavo mês já contrata babá e enfermeira só para garantir. Quando o pequeno nasce, ela corre para encontrar uma folguista, porque é impossível sobreviver a finais de semana e feriados com um bebê em casa… Ela precisa voltar a trabalhar em 2 meses, nem sonha que a Galinha Pintadinha faz sucesso com bebês, detesta musiquinha de criança, e precisa ser a melhor profissional do mundo no Ranking Mundial das Melhores profissionais do Mundo, entendeu a neura???
E os dias passam, nós estamos sempre correndo, impressionadas com a capacidade de felicidade daquela “amiga” virtual que está sempre viajando, malhando, maquiando, badalando… Essa pessoa não trabalha? Não tem cólica menstrual, não leva fora do namorado, não é traída pelo marido? Essa pessoa nunca se sente perdida? Não acorda achando que está tudo errado, que na hora de escolher o caminho, errou!?!
Sinceramente o perfeito não existe, e como “ladainha” repetida à exaustão, eu afirmo para você, e para mim: A grama do vizinho é sempre mais verde! Mas a verdade é que essa tal perfeição simplesmente não existe!!!
E ainda tem a turma do julgamento: Não gostei! Não combinou! Eu preferia branco!”
Mas onde é que eu quero chegar com uma reflexão tão pessimista?
Não se trata de pessimismo, trata-se de despoluição da vida! De um alerta que faço para mim e para você sobre a maneira como gastamos nosso tempo. Não dá para se assustar quando alguém diz que não vai comparecer a um evento porque combinou de ir ao cinema com a filha. Quantos zilhões de eventos temos que comparecer na vida? E você sabe quanto tempo essa filha esperou por esse dia?
Também não dá para anular-se diante de um trabalho, de um marido, da maternidade, ou de uma realidade externa à sua vontade. Não é preciso justificativa para fazer algo que você deseja. Se você deseja, faça! Talvez seja a sua última oportunidade.
Se ficar doente, durma, descanse, recupere-se. Se precisar trabalhar sábado a noite, trabalhe! Se quiser dançar, dance! Cante no chuveiro, vista estampa de fruta, sapato de oncinha, assista novela, seriado, “Esquenta” ou o que mais lhe divertir! Mexa-se, aquiete-se, seja lá o que for, não se perca em projetos insanos que precisam de todos os minutos de amanhã, porque sinceramente você nem sabe se amanhã vai existir!
 
Bjo bjo bjo!


VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

O DOMINGO E SUAS POSSIBILIDADES…

16 de março de 2014

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email
Todos os domingos eu acordo, com a casa ainda em silêncio, vou até a sala, e sempre tenho a sensação de que uma luz mais forte, que a luz corriqueira de todos os dias, entra pela janela. Faço um chá, ou café, com torradas, granola e mel… Logo o aroma, a luz e um belo livro me dizem: Hoje é domingo, e você tem mil possibilidades!
As possibilidades estão tão próximas, tão fáceis, tão ao meu alcance, que é simplesmente impossível não ser feliz! #ILOVESUNDAYMORNINGS Eu amo as manhãs de domingo, simplesmente porque são propícias ao agradecimento, à oração, meditação, leitura, planejamento.
É no domingo que eu viajo para qualquer lugar, na companhia de figuras enigmáticas como Marilyn Monroe, por exemplo. Ouço música nas poesias de Manoel de Barros, me apaixono pelas palavras de Clarice Lispector, dou risadas com os pensamentos de Mario Prata, me identifico imensamente com Martha Medeiros e Danuza Leão…
No domingo eu sou fashionista, viajante, romancista, apaixonada, estudiosa, nerd… Hahaha! Como é delicioso poder estar ali, na minha sala, e ao mesmo tempo, em qualquer lugar.
Meu celular fica longe, para que a modernidade não interrompa meus rompantes de criatividade, minhas gargalhadas, e até minhas lágrimas. No domingo eu ouço Cazuza e me lembro da infância na década de 80, dos brinquedos, dos primos, do corredor comprido de casa.
No domingo, eu escrevo no meu diário de sonhos, planejo o futuro, agradeço o presente, enalteço o passado. Porque eu sou a soma de todos os meus desejos, sentimentos e acontecimentos. Valorizo inclusive os tropeços, afinal muitos deles me fizeram enxergar o fundamental.
O amor dos meus pais, minha infância com meus avós, bailinhos de carnaval, peru no natal, piscina, pipoca e sessão da tarde, escola, amigos, paixão, namoro, enamoro, casamento, meus filhos… Esse é o tal fundamental! O resto é fictício, e sinceramente não cabe na mala da alma.
No domingo eu não quero nada além de ser feliz, deixo minhas batalhas, meus leões, minhas lutas para as segundonas de resolução. Sunday – sunny day – o dia do Sol, nasceu para brilhar! 
Bjo bjo bjo e um lindo dia para nós!
Maysa Leão


VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

INSTAGRAM

@MAYSALEAO