OS CABARÉS DE PARIS

21 de agosto de 2016

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

Um dos meus grandes encantamentos em Paris, são os cabarés!  Me lembro dos filmes, que mostravam aquele glamour de plumas, champagne, e dançarinas de Can Can, com suas saias coloridas. Quando fui pela primeira vez à cidade, eu pensei logo no Moulin Rouge, afinal era o nome que eu sempre ouvi falar, mas meu pai me indicou o show do Lido. Como eu e minhas amigas estávamos hospedadas na Champs Elysée, decidimos ir ao Lido, que também se localiza na Avenida mais famosa do mundo. Eu achei tão artístico, tão parisiense, tão próximo dos meus sonhos em conhecer essa cidade, sua cultura, suas peculiaridades, que caí de amores por essa tradição francesa. É difícil decidir qual cabaré conhecer: Le Lido, Moulin Rouge, Crazy Horse ou Paradis Latin? É complicado, porque apesar de se tratar do mesmo tema, cada um tem a sua tradição, e a sua particularidade.

1) MOULIN ROUGE – O mais francês de todos!

Todos irão te perguntar se você foi ao Moulin Rouge… Aquela casa de shows famosa, que tem o moinho na porta. O mais tradicional, com certeza! Para os franceses, uma referência pura de seu autêntico cabaret. Só vale o cuidado pós show, porque a região não anda muito segura. Não fique de bobeira, o 18º Arrondissement já não é tão tranquilo quanto as áreas mais turísticas da cidade.

Moulin Rouge, 82 Boulevard de Clichy, 75018. Metrô linha 2, estação Blanche.

2) LE LIDO – O mais Las Vegas Feelings!

Esse Cabaré está localizado no 8º arrondissement, o fervo de Paris. A algumas quadras do Arco do Triunfo, em uma região que sempre terá zilhões de pessoas caminhando para lá e para cá. O Show é Cabaret com pitadas de Las Vegas! O palco vira escada, depois vira um buraco gigantesco, então chove, seca, desce gente do teto… Uma loucura! Hahaha!

Lido, 116 Av. des Champs-Élysées, 75008. Metrô linha 1, estação Georges V.

3) CRAZY HORSE – O mais Sensual!

O mais sensual, com mais efeitos de luz, cenário, e pouca roupa! Esse cabaret tem aquele apelo mais streap tease, não raro é estrelado por pin ups famosas como Dita Von Teese. É considerado o mais bonito de todos, porém é o menos “Can Can”de Paris. Está localizado no badalado 8º arrondissement, a mesma região do Lido.

Crazy Horse, 12 Avenue George V, 75008. Metrô linha 9, estação Alma-Marceau.

4) PARADIS LATIN – O BBB (Bom, Bonito e mais Barato) da turma!

O que tem o preço mais amigo, um Show com uma pegada Paris antiga, que mistura Can Can, e atos de Circo, com malabares, e outras atrações. A comida é deliciosa, então vale à pena escolher o pacote com jantar. Não tem os famosos dançarinos do Lido, nem a magia pirotécnica do Crazy Horse, muito menos a fama do Moulin Rouge, mas ainda assim, é uma ótima opção para quem já conhece os outros, ou deseja fazer um programa bem francês. Ele está localizado no 5º arrondissement, o mesmo da Sorbonne, conhecido como parte do Quartier Latin, região da boemia intelectual parisiense.

Paradis Latin, 28 Rue du Cardinal Lemoine, 75005. Metrô linha 10, estação Cardinal Lemoine.

Os 4 cabarés possuem opções de Show + Jantar, Show + 1/2 garrafa de Champagne ou Apenas Show. Para se ter uma noção, o ingresso mais barato no Moulin Rouge custa cerca de 105 Euros, passando pelos 190 Euros com jantar, ou 450 Euros com jantar + localização VIP. Isso, por pessoa! Uh lalá! No Lido os ingressos começam na casa dos 160 Euros, e vão até 300 Euros. No Crazy Horse variam de 105 Euros à 245 Euros, e no Paradis de 90 Euros à 190!

É um investimento alto, eu não pagaria os 450 Euros por pessoa no VIP VIP VIP do Moulin Rouge, porque teria planos bem mais interessantes na cidade luz, com esse dindin. Porém acredito que ir à Paris, e não assistir a algum show de cabaret, é conhecer a cidade pela metade.

Espero que vocês tenham gostado do Post, clicando nos nomes dos cabarés. Eu comprei meus ingressos através da CVC Viagens aqui de Cuiabrasa, quem sempre me atende por lá é a Laura, e a loja está localizada na Av. Isaac Póvoas, 850, Fone: (65) 3313-1000. 

Cuidado com sites desconhecidos, e ingressos vendidos nas ruas! Infelizmente existe muita fraude, e oportunistas loucos para enganar turistas.

Bjo bjo bjo!



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

DICAS DE PARIS: CONHEÇA VERSAILLES

24 de maio de 2016

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

Dizer que este post vai lhe ajudar a descobrir o melhor jeito de conhecer Versalhes é um tanto pretensioso, mas a verdade é que tive 2 experiências bem distintas na “humilde residência” de Luiz XIV, XV e XVI! A primeira vez que estive em Versailles em 2008, eu fui com duas amigas, de metrô e trem. O trajeto demora cerca de 1 hora, não foi nada demais, até que foi fácil chegar lá, se você entender o metrô de Paris, e não tiver medo de “enfrentá-lo”.

Da estação até o castelo são algumas quadras caminhando. Chegando lá, nos deparamos com uma fila gigantesca, que assustava, mas antes que desistíssemos, me lembrei que o “Museum Pass” na época tinha o efeito “skip de line” (fure a fila). Passamos lááá para frente, e enfim entramos. Foi muito bonito o passeio, mas apesar de termos ouvido o sistema de “audioguide” do museu, não tínhamos uma noção muito profunda da história… Achamos linda a sala dos espelhos, andamos pelas principais dependências, e 2 horas depois, nos conduzimos à porta. Desviamos de alguns chineses, que ainda sem seus atuais “paus de selfie”, já lotavam os pontos turísticos, e tivemos uma experiência bonita.

Nesta segunda experiência, em abril deste ano (2016), contratamos o passeio pela CVC, e tivemos a sorte de conhecer o guia brasileiro chamado Jorge. Já falei do Jorge aqui no blog, acho que vou falar muitas vezes ainda, porque ele de fato marcou nossa viagem. Sim, o passeio fica mais caro, afinal não tem perrengue de metrô, eles nos buscam no hotel, em uma van, que abrigará no máximo 8 pessoas. Então o Jorge passou o trajeto de Paris à cidade de Versailles,  nos contando tudo sobre Luís XIV, que foi o famoso Rei Sol, absolutista, com mais tempo de reinado na França (72 anos), responsável pela construção do castelo, que se tornou o mais elegante da Europa.

Todas as particularidades da construção do castelo, a ostentação do Rei Sol, as casas das amantes (que depois, o Jorge nos levou para conhecermos), até a decadência do império Francês, a morte de Luís XIV, o reinado de Luís XV, a sucessão por Luís XVI, que não teve amantes, casou-se com a polêmica Maria Antonieta (que teve um amante “conhecido”), e que foi guilhotinada após o assassinato do rei, durante a Revolução Francesa… É claro que estou sendo excessivamente resumida, mas esse contexto, sendo explicado “in loco” foi com certeza o grande encantamento da minha segunda ida à Versalhes.

Bem, é isso… Eu poderia ficar horas falando sobre meu encantamento, espero que as imagens agucem a vontade de vocês em conhecer este castelo que ja teve 8000 hectares de jardins, e que hoje ainda impressiona com seus 700 hectares!

Quando vocês forem comprar esse passeio, em qualquer CVC do Brasil, solicitem que o Guia/motorista seja o Jorge, porque ele faz toda a diferença! Ele não entra no castelo, mas nos orienta no trajeto, auxilia no “pular a fila”, por ser excursão, e depois ainda acompanha pelo jardim, fazendo um passeio contemplativo pelas casas das amantes, que a pé, é impossível!

Bem, é isso! Eu fechei meu pacote com a Laura, da CVC CENTRO aqui de Cuiabrasa, o instagram deles é o @cvccentrocba, o telefone é (65) 3313-1000.

Bjo bjo bjo!



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

INSTAGRAM

@MAYSALEAO