Um Recado Para Quem Olha de Fora

22 de junho de 2017

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

Quem olha de fora acha que sabe como foi que a gente chegou até aqui… acha que entende! Acha que pode minimizar quem somos com suas percepções superficiais… Seus pré-julgamentos, suas leituras míopes, do que realmente somos.

De fora eles acham que jamais houve lágrima, e que foi pura sorte. Mal sabem sobre as noites que não dormimos, sobre os pensamentos nebulosos que tiraram nossa paz, que abalaram nossa fé, que apertaram nosso coração humano, e falho.

Não sabem dos sacrifícios, nem dos esforços sem limite… nem imaginam que já desistimos, já entregamos os pontos, já perguntamos à Deus, se era isso mesmo que ele queria de nós. Já ousamos pensar que ele nos esqueceu, ou que não nos tinha na lista de filhos favoritos.

De fora a música parece sinfonia, e a rotina nunca, jamais desafina! Não se ouve o grito do silêncio desconfortante da dor que nos ronda vez ou outra. Porque não há vivência livre de dor ou decepção… Mas há quem lamente, e há quem prefira dar atenção aos acordes da alegria, não se apegando a dor vivida.

Olhando de fora só se vê o banquete, não se atém à caça, à luta, ao flerte com a insanidade de querer escrever a própria história! De ter coragem de enfrentar os desafios com um sorriso no rosto, de não reclamar, de chorar sozinho, na calada da noite, de dizer baixinho para Deus, que conta com ele, na construção das próximas refeições…

Sozinha, sem prefácio amigo, sem facilitação cooperativa… Sem a mão estendida, que ajuda a travessar a rua da desilusão, a gente aprende que oração é impulso para o salto derradeiro do buraco da dor, para a superfície da conquista.

Quem olha de fora não sabe que inveja é quebra-molas sem sinalização, no meio da pista rápida da autoestrada… sempre faz um estrago! Pode até fazer a gente perder a direção… quem olha de fora nunca sabe…

E a verdade é que nem deve saber, porque nossa força vem de dentro, vem de Deus, vem da vontade de nunca sentar na janelinha da vida alheia, juntando-se aos montes de almas vazias, que só sabem ser de fora!

#pensamentosdamaysa

Bjo bjo bjo!



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

PRATIQUE A GENTILEZA!

29 de maio de 2017

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

Decidi que não quero mais lidar com gente grosseira! Decidi e pronto! Não aceito cara feia, nem gente emburrada, nem quem grita! Não dá para aceitar! Não há motivos para tanta destemperança. Eu não trabalho em Pronto Socorro, e a meu ver, desespero justificado, é apenas, e tão somente, aquele de quem pode perder alguém que ama, ou a própria vida. O resto é FALTA DE EDUCAÇÃO! IMATURIDADE!

Então se você é dos bravinhos, que põe dedo na cara dos outros, que berra com atendente dos lugares, que chuta a roda do carro dos outros, que fica irado porque não encontrou copinho descartável ao lado de um bebedouro, que não aceita que seu filho seja contrariado, que acha que a frase: “EU TÔ PAGANDO” justifica teu destempero, preciso te dizer uma coisa: VÁ SE TRATAR!

O mundo não merece a sua espécie! GENTILEZA é educação a todo custo! Gentileza é uma escolha de vida. É aquele lema: Sorria, mesmo quando não estiver sendo filmado. É cidadania! É levantar para um idoso sentar, mesmo que você estiver sentado no lugar que comprou, é auxiliar um cadeirante, ser solícito com uma gestante… é não berrar com o porteiro, não xingar o garçom, é não incorporar o exorcista, quando alguém não atender prontamente uma vontade do seu filho de 5 anos…

É RESPIRAR! É engolir seu ego, mastigando devagar, saindo da sua necessidade de estar sempre certo, deglutindo a soberba, a ira, a birra, a chatice, aquela surra de vara de goiaba que você não levou, e entender que com GENTILEZA, tudo se resolve! Infelizmente não existe essa matéria na escola, infelizmente muitos pais esqueceram como praticá-la, infelizmente o mundo foi tomado pela impaciência…

Temos 5 segundos de tolerância máxima, graças ao impacto provocado pela tecnologia! E com isso, estamos perdendo a essência da convivência humana! Então se esse recado serviu para você, ótimo! Absorva! Ninguém merece a sua arrogância.

E eu não sei vocês, mas EU (euzinha aqui) decidi: NÃO LIDO MAIS COM GROSSERIA! Por aqui só entra GENTILEZA!

Movida por uma vontade de fazer diferente, de sair da falação, e partir para a prática, a partir de agora vou me policiar para de fato tentar mudar o mundo à minha volta. Se todos nós tentarmos, com certeza em algum momento causaremos um impacto significativo. Não podemos mais viver no piloto automático, seguir a onda, pagar na mesma moeda, fazer o que todo mundo faz.

Não dá para vestir a sandália da humildade, e subir no pedestal da certeza, simplesmente não dá! Então vamos lá, nadar contra a maré, juntos, porque assim, criaremos a nossa própria onda, e provocaremos o impacto real, na construção do mundo que tanto sonhamos.

Comentem, deixem o like de vocês no coração ao lado (é só clicar, não precisa preencher nada).

Para ler meus outros pensamentos, clique (aqui).

Bjo bjo bjo e uma semana iluminada! 



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

NEM TUDO É TÃO FÁCIL QUANTO PARECE!

24 de janeiro de 2017

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

A cada dia que passa, mais eu percebo que nem tudo é tão fácil quanto parece ser! A grama do vizinho mais verde, o passaporte mais carimbado, o salário maior, e ainda por cima, divulgado em vídeo, foto, áudio… com riqueza de detalhes! Ninguém tem tempo, ninguém senta na calçada para papear, ninguém faz café com pão de queijo para saborear na varanda, convidando vizinhos passantes a se juntar.

E quando a vida propicia “momentos de verdade”, vem a surpresa de que aquela super pessoa, que de longe a gente acha que é perfeita, está sofrendo! Geralmente sofrendo calada, ou apenas a poucos amigos… Por que será? Porque é tão difícil compartilhar as emoções nuas, sem os adornos sociais, responsáveis por nossas abundantes graminhas verdes?!

Talvez seja porque ninguém quer de fato saber! Ou porque nossas angústias se pareçam rasas, e sem razão de ser… Tudo isso junto, né?! Os mais velhos provavelmente bradarão: “Pegue uma enxada e vai carpir um quintal que passa!” Os mais jovens dirão que “a vida é curta, e a gente tem mais é que ser feliz!” Nosso consciente terá vergonha de tamanha dor… Afinal, estamos vivos, e temos obrigação de ser gratos pelo dom da vida.

A questão é que nada disso é suficiente para tirar a dor, a angústia, e o vazio, que as vezes resolvem bater a nossa porta. Aliás, arrombar! E ninguém gosta de falar sobre depressão ou crise de ansiedade, como alguns psiquiatras têm diagnosticado, mas a verdade é que todo mundo tem alguém muito próximo que já passou por isso, ou vivenciou esse martírio.

Eu tive dois episódios na vida! Simmmm, eu!!! Justo eu que sempre fui muito bem resolvida, segura, feliz, entusiasmada com a vida, sonhadora, otimista, e tudo de positivo que se pode pensar. No primeiro episódio de depressão, eu estava casada a pouco mais de 2 anos, com um filha pequena, muitas contas para pagar, e uma sobrecarga de responsabilidades que eu não estava acostumada.

Sendo bem transparente e direta, tinha vontade de morrer… É chocante de ouvir, mas a moleza, que virou tristeza, se transformou em angústia, até que um dia tomou proporções sufocantes. Foi difícil admitir, pior ainda criar coragem de pedir ajuda… Eu me esquivava das pessoas, só queria dormir, e de preferência, não acordar mais.

Pesado isso, mas real! Consegui pedir socorro aos meus pais, que são médicos, e portanto receosos quanto ao uso de medicamentos tarja preta. Indo a uma excelente psiquiatra, comecei a tomar medicação, a qual tomei durante um ano.

Que alívio! Embora eu tivesse medo de nunca mais poder parar de tomar o remédio. Questionar minha gratidão à Deus, por ser saudável, ter uma família linda, e milhões de motivos para ser plenamente feliz.

Mas o fato é que depressão é uma doença causada por princípios químicos, que sequestram nossa capacidade de discernir de fato o que realmente importa. Muitas vezes ela é desencadeada por traumas, ou grandes mudanças que acontecem em nossas vidas.

O mais complicado é aceitar, conversar com nosso círculo afetivo, procurar um médico e se tratar.

Depois de um tratamento feito com zelo e empenho, acompanhado de terapia, e de uma vontade gigante de virar o jogo, o pesadelo parece apenas um pequeno problema, que com o tempo ficará esquecido lá atras.

Meu episódio passou!!! Hoje olhando para trás, percebo que eu mesma, muitas vezes me boicotei. Demorei a admitir, a procurar ajuda, a comunicar às pessoas que amo, e cuidar de mim, como de fato mereço.

Hoje eu sei que não tem nada a ver com fraqueza, falta de fé ou ingratidão. Realmente fiz do limão uma limonada. Descobri que precisava de qualidade de vida, deixar de ser sedentária, me alimentar de forma saudável, me aproximar mais de Deus, ler, fazer caridade, ouvir o outro, doar meu tempo…

Tantas coisas pequenas, que juntas são capazes de revolucionar a nossa existência!

Lembrando que no momento em que a doença se instala, nada disso faz o menor sentido, e um médico é ferramenta essencial para o pontapé inicial rumo à cura.

A lição que fica é de que devemos nos ouvir, nos respeitar, levar uma vida mais saudável, humana e significativa. Mais importante ainda, é entender que de perto ninguém é perfeito, linear ou normal… Se é que normal existe, né?!

Se um dia se sentir perdido, saiba que as melhores pessoas já se sentiram assim! no fundo do poço tem mola, e de lá, não há mais por onde afundar… Com Fé e ação, a subida é certa!!!

Que 2017 seja um ano de mergulhos profundos, em nossa própria existência, e na existência de Deus em nossas vidas!

Bjo bjo bjo no coração.



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

INSTAGRAM

@MAYSALEAO