DICAS DE PARIS: CONHEÇA VERSAILLES

24 de maio de 2016

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

Dizer que este post vai lhe ajudar a descobrir o melhor jeito de conhecer Versalhes é um tanto pretensioso, mas a verdade é que tive 2 experiências bem distintas na “humilde residência” de Luiz XIV, XV e XVI! A primeira vez que estive em Versailles em 2008, eu fui com duas amigas, de metrô e trem. O trajeto demora cerca de 1 hora, não foi nada demais, até que foi fácil chegar lá, se você entender o metrô de Paris, e não tiver medo de “enfrentá-lo”.

Da estação até o castelo são algumas quadras caminhando. Chegando lá, nos deparamos com uma fila gigantesca, que assustava, mas antes que desistíssemos, me lembrei que o “Museum Pass” na época tinha o efeito “skip de line” (fure a fila). Passamos lááá para frente, e enfim entramos. Foi muito bonito o passeio, mas apesar de termos ouvido o sistema de “audioguide” do museu, não tínhamos uma noção muito profunda da história… Achamos linda a sala dos espelhos, andamos pelas principais dependências, e 2 horas depois, nos conduzimos à porta. Desviamos de alguns chineses, que ainda sem seus atuais “paus de selfie”, já lotavam os pontos turísticos, e tivemos uma experiência bonita.

Nesta segunda experiência, em abril deste ano (2016), contratamos o passeio pela CVC, e tivemos a sorte de conhecer o guia brasileiro chamado Jorge. Já falei do Jorge aqui no blog, acho que vou falar muitas vezes ainda, porque ele de fato marcou nossa viagem. Sim, o passeio fica mais caro, afinal não tem perrengue de metrô, eles nos buscam no hotel, em uma van, que abrigará no máximo 8 pessoas. Então o Jorge passou o trajeto de Paris à cidade de Versailles,  nos contando tudo sobre Luís XIV, que foi o famoso Rei Sol, absolutista, com mais tempo de reinado na França (72 anos), responsável pela construção do castelo, que se tornou o mais elegante da Europa.

Todas as particularidades da construção do castelo, a ostentação do Rei Sol, as casas das amantes (que depois, o Jorge nos levou para conhecermos), até a decadência do império Francês, a morte de Luís XIV, o reinado de Luís XV, a sucessão por Luís XVI, que não teve amantes, casou-se com a polêmica Maria Antonieta (que teve um amante “conhecido”), e que foi guilhotinada após o assassinato do rei, durante a Revolução Francesa… É claro que estou sendo excessivamente resumida, mas esse contexto, sendo explicado “in loco” foi com certeza o grande encantamento da minha segunda ida à Versalhes.

Bem, é isso… Eu poderia ficar horas falando sobre meu encantamento, espero que as imagens agucem a vontade de vocês em conhecer este castelo que ja teve 8000 hectares de jardins, e que hoje ainda impressiona com seus 700 hectares!

Quando vocês forem comprar esse passeio, em qualquer CVC do Brasil, solicitem que o Guia/motorista seja o Jorge, porque ele faz toda a diferença! Ele não entra no castelo, mas nos orienta no trajeto, auxilia no “pular a fila”, por ser excursão, e depois ainda acompanha pelo jardim, fazendo um passeio contemplativo pelas casas das amantes, que a pé, é impossível!

Bem, é isso! Eu fechei meu pacote com a Laura, da CVC CENTRO aqui de Cuiabrasa, o instagram deles é o @cvccentrocba, o telefone é (65) 3313-1000.

Bjo bjo bjo!



VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

DICAS DE PARIS: PASSEIO NOS JARDINS DE MONET

5 de maio de 2016

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

 

Vamos continuar pelos roteiros de Paris??? Um passeio incrível pelos jardins de Monet, na região de Giverny… Assim já mato um pouco a saudade! O passeio à Casa de Monet, foi um dos mais encantadores que fiz, em termos de paisagem! A casa em que Monet viveu grande parte da vida, e que foi seu leito de morte, recebe turistas da Primavera ao Outono. Os jardins de Monet são famosos, e ficam fechados no inverno, pois a região fica no alto, à beira de um lago, e de final de Outubro à Abril, é muuuito frio. Estivemos na primeira semana de abril, dizem que mais para frente, o lugar fica ainda mais florido, ainda mais colorido, mais lindo! Eu já fiquei extasiada com o que vi, deu para entender de onde Monet tirava tanta inspiração para pintar as paisagens mais lindas do movimento impressionista! Ver o lago, foi como entrar em um quadro do artista, de fato algo que guardarei para toda à vida. A casa foi mantida exatamente como na época em que Monet vivia ali, alguns móveis são originais, outros foram encontrados em antiquários para substituir algumas perdas. Grande parte dos quadros são verdadeiros, e alguns poucos, os que ficam mais “livres”, como o quadro no cavalete (foto no post) são réplicas feitas por renomados especialistas. Tudo cuidado nos mínimos detalhes para que a presença de Monet seja sentida! INSPIREM-SE:

 

Gratidão é a palavra que resume a oportunidade de ver algo tão lindo. O local fica a cerca de uma hora de Paris, não tem transporte público circulando facilmente, pois trata-se de um vilarejo. Por isso fechei esse passeio com a CVC, que nos buscou no Hotel, nos levou até lá, esperou e nos trouxe de volta ao hotel. Quando vocês forem comprar esse passeio, em qualquer CVC do Brasil, solicitem que o Guia/motorista seja o Jorge, porque ele faz toda a diferença!
Além de muito educado, ele foi professor de História, Filosofia, além de ser um grande estudioso da História da França, extremamente gentil, ela passa o percurso todo contando particularidades dos passeios, elevando muito o índice de encantamento.
O passeio durou todo o período da manhã, mas vale cada segundo!
Bem, é isso! Eu fechei meu pacote com a Laura, da  CVC CENTRO aqui de Cuiabrasa, o instagram deles é o @cvccentrocba, o telefone é (65) 3313-1000.
 
Bjo bjo bjo! 
Au revoir!


VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

APLICATIVO OFFLINE PARA O METRÔ DE PARIS

14 de abril de 2016

WhatsAppFacebookTwitterPinterestGoogle+Email

 

Paris tem um dos melhores sistemas de Metrô do mundo, e um monte de gente tem pavor de descer as escadinhas (e bota escada nisso) do subterrâneo mágico da cidade luz! Ok, que quando você olha o mapa com todas as linhas, aquele emaranhado infinito de linhas, você tende a pensar que não vai dar certo.  E se você ficar tentando achar as estações no meio daquelas linhas cruzadas, vai pirar! Especialmente se for a sua primeira vez na cidade. Mas depois que você fica amigo, percebe que em no máximo 20 minutos, pode chegar em qualquer lugar! E mais, se o seu destino for mais óbvio, do tipo: Ir da Torre Eiffel para o Louvre, esse tempo pode cair para 5 minutinhos, com a caminhada até a porta, 10 minutos no máximo. Lembrando que táxi na Cidade Luz é caríssimo, e que o trânsito é bem chatinho nos pontos principais, eu te diria que namorar o metrô de Paris, será um dos seus melhores relacionamentos!
Então antes de começar a brincadeira, você vai colocar na Apple Store ou Google Play, em buscas, o nome: Metro Paris. Aparecerão vários aplicativos, eu testei alguns, e ameeeei esse do símbolo azul. É gratuito, fácil de usar e funciona offline. A maior parte dos outros precisa de internet para funcionar, esse não. Porém tem um detalhe importante, você precisa anotar nos seu bloco de notas, as estações que deseja ir, porque infelizmente em Paris os nomes não são óbvios. Por exemplo, a estação que te leva ao Arco do Triumfo é a George V, para a Torre Eiffel é Trocadero ou Bir Hakeim… Entende? Então anote a estação do seu hotel, dos restaurantes que você quer ir, dos pontos turísticos que deseja visitar, facilitando a sua vida, se a internet lhe faltar. Para usar o App é muito fácil, basta inserir em partida a estação que você se encontra, e em chegada, o seu destino.
No exemplo das fotos acima, eu coloquei a estação do meu hotel: “Grands Boulevards” e na chegada, a estação da “Torre Eiffel”: Bir Hakeim. O app me indicou que eu tinha que pegar a linha M8, sentido Balard, descer na “La Motte Picquet – Grenelle”, pegar a Linha M6, sentido Charles de Gaulle – Etoile, e descer na “Bir Hakeim”. É muuuuito fácil, rápido, e salva a nossa vida, porque perder tempo em Euro, é caro! Hahaha!
Paris tem mil caminhos, todos lindos! Abuseeee!!!
Dica Importante: Guarde o ticket do metrô com você, mesmo após ter passado na catraca, pois você pode ser abordada(o) por um policial dentro do Metrô, ou logo na saída do seu destino final, pedindo o ticket que foi usado, e se você não estiver com ele, a multa gira em tor de 60 Euros. Aconteceu comigo, e eu quase tive que pagar, mas depois de um sufoco, achei o ticket.
Para ver todos os posts sobre Paris aqui do Blog, acesse aqui: DICAS DE PARIS
Bjo bjo bjo! 
Au revoir!


VOCÊ PODERÁ GOSTAR…

INSTAGRAM

@MAYSALEAO